quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Tú me mueves, Señor...


(Para escutar: pôr em pausa, em
baixo, a música de fundo do blog)


No me mueve, mi Dios, para quererte
el cielo que me tienes prometido,
ni me mueve el infierno tan temido
para dejar por eso de ofenderte.

Tú me mueves, Señor, muéveme el verte
clavado en una cruz y escarnecido,
muéveme ver tu cuerpo tan herido,
muévenme tus afrentas y tu muerte.

Muéveme, en fin, tu amor, y en tal manera,
que aunque no hubiera cielo, yo te amara,
y aunque no hubiera infierno, te temiera.

No me tienes que dar porque te quiera,
pues aunque lo que espero no esperara,
lo mismo que te quiero te quisiera.


- Autor desconhecido. Julga-se que poderá ser atribuído a várias personalidades, tais como: S. João da Cruz; S. Teresa; Padre Torres, capuchinho; Padre Antonio Panes, franciscano.


3 comentários:

Dulce disse...

Ai Mariam
tenho na garganta quele nó que me sufoca quando me emociono...palavras para quê? lINDO E MARAVILHOSO.
Obrigada pela mensagem num soneto numa voz lindissima.
Beijinho grande.
Deus te abenções

Mariam disse...

Dulce querida,

Também gosto imenso deste soneto e da música que ainda mais o embeleza. Não me canso de a ouvir! Tão bonita, extremosamente enamorada, mas num amor tão puro!, tão desinteressado!, algo que nos ultrapassa, a nós, que não passamos de débeis criaturas.

Deus te abençoe, também.

Bjs!

MD disse...

Lindo!

Paz de Cristo